Quem Somos

O site Minhaaguadoce.com.br é um portal criado para integrar tudo que a cidade tem de melhor. Um portal com notícias atualizadas diariamente, informações turísticas, coberturas, roteiros e a participação do internauta. Informação transparente, da forma que o jornalismo sério deve ser tratado. Um guia de informações sobre um dos paraísos naturais brasileiros.

Quem Somos 1

Bons ventos o trazem para ÁGUA DOCE – SC!

ÁGUA DOCE -SC

Bons vinhos, bons ventos, boa gente, boas oportunidades. Água Doce, SC – Brasil – Capital Catarinense da Energia Eólica, um paraíso com menos de 10 mil habitantes mas que ostenta diversas conquistas. Quinto maior território de SC, berço da maior vinícola do Estado e uma das maiores produções de energia eólica do Brasil. Uma cidade onde o Ecoturismo é sustentável.

EQUIPE

o site “Minha Água Doce” foi criado e é editado pelo jornalista Júlio César Fantin. Nascido em Água Doce, meio-oeste catarinense, em 15 de fevereiro de 1986, Júlio é irmão de Eduardo (já falecido) e filho de Noeli e Gilmar Fantin (também já falecido). Desde criança, Fantin demonstrou aptidão pela comunicação. Aos 18 anos criou seu próprio jornal impresso. Aos 21 criou seu primeiro portal na internet. Fantin já atuou na área de jornalismo e assessoria de imprensa de diversos veículos em Santa Catarina e São Paulo, tais como SBT (SC e SP), Regional FM (Floripa), Jornal O Regional (Floripa), Band FM (Floripa, Tubarão e Lages), Band SC (Floripa) e Tropical FM (Treze Tílias). Júlio Fantin é jornalista e escritor. Atualmente é também editor do site Bastidoresdatv.com.br.

Reconhecimento

Júlio César Fantin recebeu da Câmara de Vereadores de Florianópolis (SC), moção de aplausos pelos importantes serviços de comunicação prestados para Florianópolis e região, diante da coordenação do departamento de jornalismo da Rádio Regional FM e Jornal O Regional. A sessão de entrega da honraria ocorreu em 01 de julho de 2008. Em 01 de setembro de 2008, a matéria de capa do Jornal O Regional, da Grande Florianópolis, intitulada “Restos mortais do poeta Cruz e Souza chegam a Florianópolis” lhe rendeu outra homenagem, um diploma acadêmico da Academia Santoamarense de Letras.