Vídeo: Minha Água Doce revela a real história da ciclovia que custará cerca de R$ 3 milhões para a Prefeitura de Água Doce – Pioneiro fez mais do que sua parte e o “presente” foi proposto pela administração municipal

0
Assista a reportagem do Minha Água Doce!

Quem pensa que o mistério criado pela Prefeitura de Água Doce e a empresa Pioneiro entorno da futura ciclovia da SC-150, entre a Pioneiro Ecometais e a delegacia de Água Doce, finalmente havia terminado no mês de abril após participação de um dos sócios do Grupo Pioneiro Industrial na Câmara de Vereadores de Água Doce, se engana. O Minha Água Doce conta em primeira-mão a verdadeira história de uma obra que poderá custar cerca de R$ 3 milhões para a Prefeitura, até que o “novo acostamento” aberto na rodovia estadual, de fato se torne uma ciclovia.

Em conversa com o secretário municipal de Administração de Água Doce, Clair Gemelli (Preto), em 6 de maio, na Secretaria Municipal, ele revelou ao jornalista Júlio César Fantin, detalhes do que seria o “presente” do grupo nascido em Treze Tílias para o Município no aniversário de 15 anos da Pioneiro Ecometais. Todo mistério começou a ser revelado não por iniciativa da administração que sempre que questionada pelos vereadores alegava que “no momento oportuno daria explicações” e sim por Dorival Barbieri, um dos sócios do Grupo Pioneiro Industrial que utilizou a tribuna para falar da iniciativa e dos 15 anos de instalação no Município.

Dorival destacou que a Ciclovia, assim como foi feito em Treze Tílias e Ibicaré, era um sonho do seu irmão Lorival (também sócio da empresa), desde que se instalaram em Água Doce, ainda na administração do prefeito Antônio José Bissani em 2004 com a planta inicial e 2007 com a inauguração da Ecometais. Essas afirmações feitas aos vereadores só vieram após reportagem do Minha Água Doce que mostrou máquinas e funcionários da Prefeitura de Água Doce trabalhando na execução da obra que até então não tinha nada a ver com a administração municipal. Vale salientar que ninguém é contra a obra que em tese seria um presente, mas sim contra a falta de transparência num dos maiores investimentos feitos pela municipalidade em uma via de competência estadual, antes sequer de um projeto ser concluído.

“Na época 30% da população era contra a instalação da Pioneiro aqui. Hoje creio que sejam uns 20%… Geramos entorno de 300 empregos diretos no Município e neste aniversário de 15 anos da Pioneiro Ecometais assumimos o compromisso junto ao Deinfra e a Prefeitura para fazer a Ciclovia. Nossa parte já está concluída. Era só para fazer a terraplenagem e acabamos gastando e fazendo mais do que planejado. Agora é por conta da Prefeitura de Água Doce fazer calçada, passarela, sinalização, iluminação e manutenção”.

Detalhes até então não revelados para a sociedade, no entanto, foram confidenciados ao Minha Água Doce, em conversa realizada na Secretaria Municipal da Administração. Preto revelou que a Pioneiro queria oferecer algumas melhorias de acesso para marcar os 15 anos da empresa em Água Doce. Foi então que em conversa dele com a chefe do poder Executivo Municipal de Água Doce, Senhora Nelci Fátima Trento Bortolini, surgiu a ideia da milionária ciclovia. O secretário procurou um dos diretores da empresa, que é seu parente, e propôs a parceria para uma ciclovia. Dias depois, Preto, diretor e um dos irmãos Barbieri, um dos sócios da Pioneiro, percorreram o trajeto de 4km a pé e após o percurso se chegou num acordo. A Pioneiro topou dar a terraplenagem, uma vez que se a Prefeitura colocasse máquinas para abrir a obra, a população iria criticar, devido a situação das estradas do interior do Município. Todo o restante seria de compromisso da administração municipal.

Preto destacou que foi pessoalmente conversar com os proprietários dos terrenos e também com a Polícia Militar Rodoviária em Ibicaré. Enfatizou que máquinas e funcionários da Prefeitura, flagrados pelo Minha Água Doce, estavam trabalhando na obra porque a mesma era uma parceria. Outrora, acordo este que até o Minha Água Doce levar ao conhecimento público, era segredo até para a Câmara de Vereadores. A Pioneiro acabou participando até a colocação do piche e a partir deste momento, todo o restante é responsabilidade da Prefeitura.

O que chama atenção é que a Prefeitura de Água Doce não possuía nenhum projeto ao sugerir a obra milionária. Somente agora, que a AMMOC está finalizando um projeto para que o Município envie posteriormente para a Câmara de Vereadores e também possa buscar através de parlamentares os cerca de R$ 3 milhões que serão gastos até a conclusão de toda a Ciclovia.

Será necessário a construção de um muro de 4km, separando a ciclovia da rodovia, além de iluminação, sinalização, pintura, construção de uma passarela junto da Ponte do Rio Estreito e posteriormente a construção de calçadas de concreto em todo percurso. Nesta conta, não está incluso a manutenção anual que também será de responsabilidade do Município de Água Doce.

Vídeo: Minha Água Doce revela a real história da ciclovia que custará cerca de R$ 3 milhões para a Prefeitura de Água Doce - Pioneiro fez mais do que sua parte e o "presente" foi proposto pela administração municipal 1
Presente da Pioneiro terá investimentos de R$ 3 milhões da Prefeitura de Água Doce até novo acostamento da SC-150 se tornar uma ciclovia.

*Com informações Minha Água Doce

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui